Monthly Archives: Setembro 2018

  • -

Insucesso dos Implantes

O insucesso dos implantes  é devido a causas multifatoriais. Não podemos afirmar que o insucesso dos implantes dentários seja determinado por um único fator.

Neste artigo, dedicado às possíveis falhas do implante, vamos enumerar os principais motivos que contribuem para o insucesso do tratamento. Queremos explicar os principais motivos que podem levar ao fracasso de um tratamento com implantes.

Rejeição do implante dentário

A rejeição do implante significa que este não oste integrou. A rejeição está associada ao insucesso do tratamento com implantes. O pequeno parafuso de titânio fica frouxo, com mobilidade e saí.

A rejeição não tem dor associada, contudo, o facto de o implante estar solto na gengiva contribui para a magoar. A possível dor na gengiva é devida ao contato  do pequeno parafuso que não está fixo ao osso; a pressão exercida ao mastigar e ao falar, causam desconforto.

É necessário que o implantalogista o remova com o auxilio de uma pinça. A remoção do implante não oste-integrado é um procedimento simples e indolor. Com o auxilio da pinça, o dentista retira o implante alojado na gengiva.

Os principais fatores de risco para o insucesso dos implantes

Mucositis

Peri-implantitis

Os vários tipos de insucesso com implantes dentários


  • -

Bruxismo

O bruxismo significa ranger os dentes. O bruxismo é nefasto para a dentição, restaurações e implantes dentários. Contudo, um correto diagnóstico e o acompanhamento certo, minimizam as possíveis complicações.

O bruxismo  influencia  o seu tratamento com implantes?

Saiba tudo sobre o bruxismo. O bruxismo é ou não uma contraindicação para implantes dentários? Leia o nosso artigo. As opiniões dos especialistas são controversas.

Quais os sintomas do bruxismo?

A pessoa após uma noite de sono acorda com os músculos do maxilar doridos. Outras acordam com alguma dor de cabeça e durante o dia a sua intensidade diminui.

Outras rangem os dentes em momentos de stress, sem darem por isso, fazem-no de forma involuntária.

Que tipos de bruxismo existem?

Existem duas formas de ranger os dentes;

A dormir durante o sono;

Durante o dia.

Durante o dia, o bruxismo manifesta-se pelo serrar dos dentes e pela pressão dos músculos no maxilar. Acontece quando uma pessoa está ansiosa, nervosa, preocupada, zangada.

O bruxismo durante a noite acontece a milhões de pessoas no mundo inteiro. Manifesta-se  durante o sono e o próprio  não se apercebe. Os únicos sintomas serão a dor no maxilar ou a enxaqueca pela manhã, geralmente ligeira e sem razão aparente.

Fatores que desencadeiam o bruxismo

  • A ansiedade na vida pessoal ou profissional. O bruxismo é geralmente causado pelo stress, pela falta de descanso e de relaxamento.
  • Outros fatores que provocam o bruxismo são a toma de substâncias proibidas tais como certas drogas que estimulam a atividade e por exemplo o café em excesso.
  • A vida atual exige das pessoas uma grande competição e esforço para lidar com uma série de problemas e objetivos. Os objetivos no trabalho, os problemas do dia a dia, a ansiedade com os filhos, com o futuro profissional, etc. Estes fatores de intranquilidade e constante ansiedade, contribuem para o aparecimento do bruxismo que pode ser uma situação ocasional ou permanente.
  • A falta de dentes; quando extrai um ou vários dentes, a mordida, ou seja a forma como os dentes encaixam uns nos outros com a boca cerrada pode ficar alterada.

O bruxismo interfere nos implantes dentários?

Existem estudos que revelam a taxa de insucesso  ser superior em pacientes que sofrem da perturbação do bruxismo. Muitos investigadores afirmam ser um fator de risco para o tratamento com implantes dentários. Dizem os especialistas que a colocação de implantes dentários em pacientes com bruxismo tem maior probabilidade de insucesso comparativamente a pessoas que não sejam portadoras desta patologia.

Como se trata o bruxismo?

A goteira oclusal ou de relaxamento

O tratamento com a goteira de relaxamento é o mais comum. Este tratamento consiste no fabrico da goteira, geralmente executada em material acrílico e a pessoa usa-a durante a noite. Esta goteira protege  os dentes da pressão. Os dentes não têm contacto e o esmalte fica protegido.

A toxina botulinica

A aplicação de injeções origina o relaxamento dos músculos do maxilar. Com o relaxar dos músculos do maxilar o ranger de dentes desaparece ou em alguns casos diminui.

O tratamento com implantes dentários

O alinhamento dentário ou a falta de dentes podem ocasionar o ranger de dentes. A falta de dentes poderá alterar a oclusão, ou seja, a forma como os dentes encaixam ao fechar a boca. A correção pode passar pelo auxilio dos implantes dentários. Tudo depende do caso de cada pessoa e das condições de diagnóstico. A opinião dos especialistas é controversa como veremos a seguir.

Conclusão sobre os implantes e o bruxismo

A relação entre os implantes e o ranger de dentes é de certa forma controversa. Existem estudos que revelam ser uma contra indicação, no entanto, outros referem a importância dos implantes dentários para corrigir determinadas disfunções.

Por isso, tudo leva a crer que sejam necessários mais estudos que demostrem realmente se o ranger de dentes afeta ou não o tratamento com implantes. Médicos especialistas referem questionar esta associação ao demonstrarem a existência de vários casos com sucesso.

Se já lhe diagnosticarão a sintomatologia do ranger de dentes, se sente dor no maxilar ao acordar e quer a opinião de um especialista, informe-se com o seu médico dentista. Marque uma consulta, explique-lhe os sintomas. O dentista vai encaminhar, esclarecer e tratar o seu eventual problema dentário.

Se equaciona colocar implantes dentários e sofre de bruxismo, consulte o seu dentista para esclarecimentos exatos sobre a sua patologia e as consequências em relação ao eventual tratamento de implantologia.

 


  • -

Candidato a Implantes

Candidato a implantes

Candidato a implantes

O candidato a implantes deverá ter quantidade e qualidade de tecido maxilar, ou seja, disponibilidade óssea.

Como já referimos existem técnicas de enxerto de osso para contornar esse problema. Pessoas comprometidas em ter uma boa higiene oral são candidatas a implantes. Pessoas saudáveis ou com doenças controladas também se podem candidatar ao tratamento. Quase todas as pessoas são candidatas a usar dentes fixos. Consulte o seu médico dentista e informe-se sobre o seu caso em particular. O dentista vai avaliar as suas estruturas dentárias e saberá se é ou não um bom candidato ao procedimento.

O que é necessário para ser candidato a implantes?

Gengivas saudáveis

A gengivite e a periodontite são doenças das gengivas que afetam o osso do maxilar. Um bom candidato a implantes não pode ser portador destas doenças. Existem vários tratamentos disponíveis para solucionar o problema da doença das gengivas. A gengiva tem que estar sã para receber o implante. Por esta razão, em alguns casos de periodontite avançada, o dente deve ser extraído algum tempo antes da inserção do parafuso artificial.

Quantidade de osso disponível

A qualidade e quantidade de osso do maxilar ou mandíbula são fatores fundamentais para avaliar se uma pessoa é ou não um bom candidato ao tratamento. Tal como já referimos em algumas páginas do site, existem técnicas para acrescentar osso. Essas técnicas e procedimentos denominam-se de elevação de seio e enxerto de osso.

Crianças não são candidatas ao procedimento porque o osso do maxilar estará em desenvolvimento. Desta forma o ideal é esperar até completarem 18 anos de idade, altura em que o maxilar já se desenvolveu e isso possibilita planear o tratamento.

A higiene oral

Uma higiene oral cuidada previne as possíveis complicações. Uma pessoa ciente da importância  da higiene oral é um forte candidato ao procedimento. Recomendamos as consultas anuais de limpeza no dentista, o uso de escova macia, o fio ou fita dentária, as máquinas de jato de água.

Saúde oral cuidada

A saúde oral é importante em todas as pessoas e idades. As doenças orais influenciam a saúde em geral. Pessoas sem dentes devem cuidar da saúde oral tal como  as pessoas que têm dentes naturais. É importante escovar as gengivas e a língua mesmo pessoas desdentadas que usem dentaduras. A higiene da dentadura tem que ser frequente.

Os pacientes que fumam ou ingerem bebidas alcoólicas com frequência têm uma taxa de sucesso menor com os implantes dentários porque o fumo e o álcool em excesso são inimigos do tratamento.

Quem não é candidato a  implantes?

As principais circunstâncias que aumentam o risco de insucesso em implantes dentários são as seguintes:

O fumo do tabaco

O tabaco é uma contra indicação . É um inimigo dos dentes, da saúde oral em geral e do procedimento com implantes. O fumo dificulta a cicatrização e portanto a regeneração do osso. A osteo integração é mais difícil. O candidato ideal a implantes dentários não deve fumar. Fumadores têm maior probabilidade de insucesso no tratamento. Estudos na medicina dentária referem que a probabilidade de rejeição é maior.

Pessoas que ingerem bebidas alcoólicas em excesso

Doenças das gengivas

Doenças oncológicas

Esteroides

O ranger de dentes ou bruxismo

O bruxismo é um fator de risco para o candidato a implantes. Os estudos sobre esta matéria são controversos. É fundamental que o candidato seja acompanhado durante e após o tratamento reabilitador.

O bruxismo acontece durante a noite e significa ranger os dentes. Uma pessoa pode ter bruxismo e não saber.

Pessoas candidatas a implantes podem conseguir usar o tratamento com sucesso com o auxilio de uma goteira noturna.

Diabetes

A diabetes controlada tem taxas de sucesso aceitáveis. A Diabetes Mellitus influência o sistema imunitário e o processo inflamatório. Esta doença afeta pessoas em todo o mundo e muitos pacientes querem saber se são candidatos aos implantes dentários.

Se a diabetes não estiver controlada ou seja, se os níveis de hemoglobina não estiverem estabilizados, a cicatrização é prejudicada. Ou seja, a osteointegração do implante estará em risco. Desta forma, pacientes com diabetes devem ser especialmente acompanhados durante e após cirurgia. De qualquer forma muitos pacientes com diabetes controlada usam implantes com sucesso.

Se sofre de diabetes e quer saber se é um bom candidato a implantes  marque uma consulta com o seu dentista e informe-se sobre o seu caso em particular.


  • 0

Higiene implantes

A higiene dos implantes determina a longevidade do seu tratamento fixo. Os cuidados a ter vão influenciar o seu sucesso a longo prazo.

A higiene  dos implantes

O uso de fio dentário

A utilização diária do fio ou fita dentária deve ser uma prática constante. É fundamental que a sua coroa ou ponte se mantenha limpa; os restos de alimentos provocam o aumento de placa bacteriana. A placa é prejudicial para a saúde oral em geral e para os seus implantes.

A utilização do fio dentário é simples; passe o fio ou fita na zona do implante em movimentos suaves.

Escovilhões dentários

Existem à venda nas farmácias os escovilhões dentários. Trata-se de pequenas escovas especialmente concebidas para remover resíduos alimentares acumulados entre a coroa e a gengiva. Com o auxilio deste pequeno dispositivo consegue limpar de forma eficaz espaços reduzidos onde a escova de dentes vulgar não consegue resolver.

A utilização do escovilhão dentário permite higienizar o pequeno cilindro de titânio na zona de contacto entre a prótese e a gengiva. No caso de implantes individuais ou pontes, o uso do escovilhão revela-se muito eficaz.

Os sistemas de irrigação – máquina de jato de água

A máquina a jato é um sistema de irrigação útil na higiene dos implantes dentários. Encontra-as em farmácias e em grandes superfícies comerciais. É por isso um aparelho indispensável em casos de implantes múltiplos e pontes. Desta forma, a água através de pressão remove os resíduos alimentares em zonas onde o fio ou a escova não conseguem alcançar.

Informe-se com o seu dentista sobre a higiene e cuidados dos implantes após conclusão do tratamento. A colaboração do paciente nas consultas de manutenção, o compromisso de cumprir as regras diária da higiene vão prolongar a vida do seu tratamento.

A higiene dos implantes é importante?

Estudos sobre esta matéria, referem que a maioria dos casos de insucesso são devidos à falta de higiene. A falta de higiene vai assim provocar a denominada Periimplantite ou seja a inflamação da gengiva em redor dos implantes. Desta forma, a inflamação irá originar hemorragia e posteriormente perda óssea.

Sobre a higiene dos implantes

A placa bacteriana é uma das principais inimigas do seu tratamento. Por isso o auxilio dos instrumentos já referidos e a sua prática devem ser rigorosamente cumpridas.

Certifique-se que usa as técnicas de escovagem adequadas.

Faça uma higiene oral mais minuciosa no dentista; destartarização, limpeza da prótese.

Marque consultas de check -up semestrais ou anuais.

Se a higiene dos implantes for rigorosa a sua reabilitação dentária irá durar muitos e muitos anos.