Author Archives: admin

Abcesso

Category : Medicina Dentária

O abcesso é uma infeção bacteriana e consiste numa bolsa com pus. Os abcessos podem denominar-se de peri apicais e surgirem junto à raiz de um dente, na sua extremidade, ou serem abcessos periodontais e estarem junto à gengiva.

Saiba tudo sobre os abcessos no tratamento com implantes dentários.

Será que um abcesso é sinónimo de infeção? Se surgir um abcesso na gengiva, vou perder os meus implantes? Porque surgem abcessos durante o tempo de ósseo-integração dos meus implantes?

Porque surgem abcessos na gengiva?

Um abcesso num dente pode surgir devido a um tratamento dentário efetuado algum tempo antes, se existir uma lesão  junto  da área em causa ou se uma cárie não for tratada atempadamente .

As bactérias entram na parte mais interna do dente, na polpa dentária. A polpa dentária contem tecido conjuntivo, vasos sanguíneos e estruturas nervosas. A bactéria pode invadir o dente através de uma fissura, lasca e atinge a raiz.

Quais os sintomas de uma infeção bacteriana?

Inflamação na extremidade da raiz de um dente, inflamação da região, a pessoa sente dor moderada ou intensa.

Principais sintomas de um abcesso oral

  • Dor de dentes, mais ou menos intensa , geralmente latejante.
  • Ao mastigar, a pessoa sente uma pressão incomoda provocada pelos alimentos na área afetada.
  • Existe muita sensibilidade ao calor e ao frio.
  • A face incha, pode acontecer também na bochecha,
  • Na parte inferior do maxilar ou pescoço existem os gânglios linfáticos e estes podem inchar.
  • Se o abcesso rebentar naturalmente a pessoa pode sentir um odor desagradável e um alívio da dor.

Como se diagnóstica um abcesso?

O dentista em primeiro lugar examina a área afetada. Geralmente utiliza o meio auxiliar de diagnóstico denominado de radiografia. Com a radiografia poderá verificar a localização exata da infeção e observar se esta alastrou  atingindo outras áreas  vizinhas.

Como se tratam os abcessos orais?

Existem diversos tratamentos efetuados pelos dentistas. O tratamento depende da causa do abcesso e da causa da infeção.

  • O abcesso pode ser drenado através de uma pequena incisão e o pus sai. Logo a seguir a zona é lavada com agua salgada.
  • O dentista pode prescrever antibióticos principalmente se a infeção atingir os dentes adjacentes. Se a infeção for delimitada apenas na área do abcesso pode não ser necessário a toma de antibióticos.
  • O dente pode ser desvitalizado ou submetido a tratamento endodôntico. O dentista faz um ligeiro orifício no dente, remove o nervo ou a polpa, preenche os canais radiculares com produtos adequados , sela a camara pulpar e os respetivos canais.
  • Em alguns casos, quando já não é possível eliminar o abcesso o dente pode precisar de ser extraído. Com a extração a infeção termina. Os dentistas nos dias de hoje só extraem dentes quando já não existe mais nenhuma possibilidade de tratamento.

Prevenção dos abcessos orais

Para evitar que os abcessos  possam surgir, o primeiro passo é uma correta e constante higiene oral. Os dentes devem ser escovados várias vezes ao dia. As consultas no dentista são fundamentais para identificar possíveis cáries. Se estas forem  tratada no seu estado inicial , o dente pode durar muitos anos e evita-se os possíveis abcessos.

  • Existem pastas dentífricas especialmente concebidas para evitar a hemorragia gengival. Os dentes devem ser escovados diariamente várias vezes ao dia assim como a língua e o palato (céu da boca).
  • Deve-se usar elixires orais para complementar a higiene. Estes elixires contribuem para eliminar as bactérias que possam ainda estar alojadas entre os dentes mesmo após uma correta escovagem.

O abcesso vai prejudicar um tratamento com implantes?

Sim, o abcesso pode prejudicar o seu tratamento com implantes dentários. Em caso de abcesso deve consultar o seu médico implantologista para melhor diagnóstico e tratamento.


Aftas

Category : Medicina Dentária

As aftas são ulceras na boca que podem ser dolorosas e dificultam a mastigação. Os médicos dentistas designam este tipo de lesões por aftas ou estomatitis aftosa. São feridas abertas de cor branca ou amarelada rodeadas por um rebordo vermelho vivo. Em algumas pessoas as aftas são recidivas e recorrentes ao longo da vida.

Porque surgem as aftas?

Nem sempre se consegue identificar a sua causa mas atos tão comuns como a lavagem dos dentes agressiva, mastigar alimentos com violência ou ingerir líquidos e alimentos muito quentes pode originar o seu aparecimento. As causas podem portanto ser devidas a traumatismos locais vários.

Podem estar relacionadas  com o sistema imunitário e com a falta de defesas do organismo. Por essa razão as condições são favoráveis para o aparecimento de uma infeção viral ou bacteriana . As aftas  estão relacionadas também com a diabetes e diversas doenças.

Atribui-se o aparecimento de aftas à falta de vitaminas. De facto a anemia pode causar alterações à língua, esta perde as suas papilas normais e fica mais grossa. Podem aparecer fissuras e úlceras na mucosa oral ou a vulgarmente chamada boqueira nos lábios. As características da mucosa da boca  tornam-se especialmente vulneráveis aos défices alimentares.

Fatores genéticos, hormonais e stress podem influenciar o aparecimento das aftas orais.

Onde aparecem as aftas orais?

Estas pequenas ulcerações predominam  na mucosa bocal em especial na zona da língua, ponta e dorso.

Medidas de prevenção

  • Uma boa higiene oral reduz a probabilidade de surgirem.
  • Dietas com alimentos moles, frios ou mornos.
  • Deve-se evitar acidentes locais como morder a língua.
  • Aconselha-se o uso de escovas de dentes macias.

A necessidade de biopsias para o diagnóstico

Quando uma ferida persiste na boca por mais de quinze dias existe a prática clinica de se proceder a uma análise das suas características, através da biopsia da lesão em laboratório para eliminar a hipótese de carcinoma .

O álcool e o tabaco assim como as irritações crónicas de uma prótese dentária mal ajustada são fatores  que predispõem ao cancro oral. Os primeiros sintomas são feridas persistentes em forma de escavação da mucosa ou manchas esbranquiçadas denominadas de leucoplasias.

Tratamento das aftas

Existem corticoides tópicos à base de triamcinoloma em comprimidos que se aplicam humedecendo a ponta do dedo e pressionando a camada do comprimido que por sua vez se coloca em contacto com a mucosa a tratar.

O tratamento com anti-sépticos ou colutórios orais é também uma possibilidade para o tratamento da afta oral.

As aftas influenciam o tratamento com implantes dentários?

Em principio não influenciam o tratamento com implantes dentários, no entanto consulte o seu dentista para informação sobre o tratamento fixo e as aftas orais.


Diabetes

Category : Medicina Dentária

A diabetes é uma doença sistémica que se caracteriza pelo aumento dos níveis de açúcar no sangue e a incapacidade do organismo em transformar esse açúcar proveniente de alimentos. É uma doença silenciosa que se desenvolve nos primeiros anos sem sintomas. Quando controlada o doente pode ter uma vida normal.

Como influência a diabetes os seus implantes dentários?

As pessoas que padecem da doença diabetes têm mais probabilidades de sofrer cáries dentárias e do periodonto (gengiva, osso e ligamentos) assim como da doença das gengivas(periodontite e gengivite).

Os vasos sanguíneos ficam mais densos. A espessura dos vasos dificulta a circulação do sangue. A troca de sangue nos tecidos da gengiva e no osso do maxilar é mais difícil. Esta dificuldade de troca sanguínea aumenta a fragilidade de osso e tecidos em redor contribuindo para o aumento das infeções e uma menor defesa perante agentes infeciosos. A probabilidade de uma infeção dentária é maior.

Os glóbulos brancos ou leucócitos são células produzidas na médula óssea e que existem no sangue. Têm como função a de proteger o organismo ou o sistema imunitário contra o ataque de agentes causadores de doenças. Nos diabéticos a sua função de defesa está diminuída e por isso  a periodontite ou gengivite instala-se com mais facilidade.

Por outro lado existem bactérias que proliferam influenciadas pelo açúcar. Se a glicose não estiver controlada, a saliva fica com os níveis  aumentados e estes níveis de glicose vão propiciar o desenvolvimento de bactérias. Estas bactérias originam a doença das gengivas e a destruição do osso e tecidos.

Os portadores de diabetes têm dificuldade na cicatrização. Esta é a principal razão porque o tratamento com implantes dentários deve ser especialmente acompanhado.

Que tipos de patologias orais são propicias nos diabéticos?

  • Tal como já foi referido se as gengivas não forem atempadamente tratadas a periodontite aumenta silenciosamente sem dor ou queixas. Acontece a retração gengival e óssea, a mobilidade dos dentes aumenta e culmina com a perda de dentes.
  • A cárie e gengivite são muito frequentes.
  • Infeção por fungos. A candidíase oral ou sapinhos caracteriza-se por placas brancas na boca, na zona interna das bochechas , na língua e na garganta. Acontece quando o sistema imunitário está mais frágil e é muito comum nas crianças.
  • A boca seca e ardor intenso.

Como evitar as doenças orais nos diabéticos?

  • Ir ao dentista todos os anos para um check up oral mesmo que não sinta dor ou não tenha queixas.
  • Informar o médico que sofre de diabetes.
  • Os cuidados com a higiene oral devem ser reforçados. Os dentes , gengivas , língua e a zona interior das bochechas devem ser escovados a seguir às refeições, ao deitar e ao acordar. Deve-se usar escovas macias porque as gengivas ficam fragilizadas. É importante massajar as gengivas com as pontas dos dedos.
  • Existem pastas dentífricas e produtos para bochechar adequados à situação dos diabéticos.
  • As pastilhas elásticas sem açúcar estimulam a produção de saliva resolvendo a falta dela em alturas de maior secura.

Se a pessoa for diabética pode colocar implantes dentários?

Em primeiro lugar deve consultar o seu médico dentista. Em principio se a doença estiver controlada pode usar os implantes dentários.

Muitas pessoas diabéticas usam a restauração fixa beneficiando dos benefícios dos implantes dentários. Se a diabetes estiver controlada, o paciente, em principio, desde que não existam outras contraindicações, poderá beneficiar das vantagens dos implantes dentários.

Se é diabético e gostaria de se submeter às vantagens do tratamento fixo, não hesite, marque uma consulta com o seu dentista. O médico vai pedir-lhe exames suplementares e analisar o seu caso em particular.


Doença de Alzheimer

Category : Medicina Dentária

Saiba tudo sobre os cuidados a ter com a saúde oral nos doentes com Alzheimer.

Os doentes com Alzheimer podem colocar implantes?

A população vive cada vez mais anos,  por isso, a presença da doença de Alzheimer e a degradação da saúde associada à velhice, tornam-se cada vez mais frequentes. Com  a evolução da doença, o doente mostra a perda progressiva da prática da higiene oral diária. As funções cognitivas diminuem assim como as funções motoras. Por esta razão a escovagem dos dentes é muitas vezes esquecida.

É essencial um plano de tratamento para cuidar da saúde oral . Os profissionais de saúde em colaboração com o prestador de cuidados do doente deverão estabelecer planos de auxilio profissional na prevenção das doenças orais. Neste campo, os dentistas têm um papel importante e específico para manter a qualidade de vida do portador da doença de Alzheimer.

A doença de Alzheimer é uma alteração neurodegenerativa, progressiva e fatal: perde a memória, a função intelectual, a linguagem e a perceção do espaço e do tempo.

A pessoa tem a capacidade de pensar diminuída, sem capacidade para resolver problemas e com comportamentos considerados anormais. A doença aparece geralmente depois dos 60 anos de idade.

Quando se espalha pelo córtex cerebral, as capacidades críticas e de julgamento ficam em causa e surge a incapacidade de desempenhar tarefas rotineiras simples, assim como surgem  crises emocionais graves. A linguagem fica seriamente afetada.

A progressão da doença conduz a uma necrose de grande parte do tecido nervoso causando comportamentos tais como “vaguear sem destino” e intensa agitação.

A importância da medicina dentária na Doença de Alzheimer.

A saúde oral está diretamente relacionada com a saúde em geral e o bem estar. As pessoas com necessidades especiais de cuidados de saúde estão sujeitas a um maior risco em relação às doenças orais porque geralmente não cooperam nas práticas de prevenção.

Estes pacientes devem ser submetidos à profilaxia e a tratamentos adequados com o objetivo de se evitarem complicações futuras.

Como tratar as doenças orais nas pessoas com Alzheimer?

Não existe nenhuma terapia eficaz para curar a doença. Os objetivos dos tratamentos são sempre conduzidos para manter a qualidade de vida do doente e dos seus familiares. A colaboração multidisciplinar de médicos dentistas com outros profissionais de saúde tais como enfermeiros, neurologistas, fisioterapeutas e psiquiatras é fundamental para a saúde em todas as fases da doença.

Consultas de saúde oral

Com a progressão da doença é possível identificar a deterioração da função oral. Durante o tratamento de medicina dentária existem alguns aspetos que devem ser considerados e são recomendados para o tratamentos dos doentes portadores de Alzheimer.

  • O dentista deve tentar comunicar com o paciente.
  • É necessário aconselhar o uso diário de um dentífrico fluoretado para ajudar na prevenção das cáries. A necessidade de escovagens frequentes e o uso de fio dentário são essenciais para evitar o aparecimento de doenças periodontais.
  • Estes pacientes devem beneficiar da aplicação de fluor tópico tal como géis, colutórios ou verniz fluoretado para evitar a cárie.
  • Os tratamentos restauradores devem conter flúor tal como o ionómero de vidro e são úteis na prevenção ou como terapêutica.
  • Quando se deteta gengivites ou periodontites utilize colutórios com clorohexidina. Se o paciente mostrar que consegue deglutir o colutório este pode ser aplicado usando uma escova dentária.
  • Os médicos dentistas sugerem uma dieta que não promova o aparecimento das cáries . É importante avaliar os efeitos secundários de medicamentos relacionados com a xerostomia ou hiperplastia.

Quais as medidas orais profiláticas?

Os  problemas orais mais frequentes são a acumulação de placa, recessão gengival, redução do fluxo de saliva. Problemas  relacionados com a incapacidade e a falta de higienização por parte dos doentes. Evite forçar a pessoa a fazer algo que ela não quer fazer. É possível tentar distrair o doente para o induzir a aceitar tarefas de cuidados pessoais. Se o doente, por exemplo, entrar em pânico quando entrega a escova de dentes, o prestador auxiliar de cuidados de saúde deverá ajudar a escovar os dentes, escovando-os com o auxilio de uma escova elétrica que vai facilitar bastante a tarefa.

Conclusão sobre a saúde oral nos doentes com Alzheimer.

A doença caracteriza-se pela incapacidade progressiva em termos cognitivos, comportamentais e funcionais.

A investigação sobre a doença continua. A saúde oral é de extrema importância para ser possível submeter os doentes aos tratamentos mais adequados sejam estes preventivos ou de ação direta. É importante instruir os cuidadores da importância da prevenção de forma a  evitar complicações futuras desnecessárias. O mais importante é promover uma qualidade de vida digna e adequada a cada uma destas pessoas portadoras da doença Alzheimer.

Os portadores da doença Alzheimer podem colocar implantes dentários?

Não existem estudos sobre esta matéria. No entanto o tratamento com implantes dentários  não está contra indicado nestes doentes. Se tem um familiar com Alzheimer e equaciona proporcionar-lhe um tratamento fixo, marque uma consulta com um especialista de implantes dentários. Cada caso é um caso. Em principio sim, um portador da doença  de Alzheimer pode ser candidato a usar os implantes dentários.